3 maneiras de reagir quando a síndrome do impostor atacar

Vamos falar da síndrome do impostor. Você pode questionar o que é a síndrome do impostor. Bem, deixe-me definir para você. Isso acontece mais comumente em indivíduos na faculdade ou pós-graduação, ou em alguém que está iniciando uma nova fase na vida em que o trabalho é mais desafiador. Com a síndrome do impostor, o indivíduo duvida de sua capacidade e é constantemente consumido pela ideia de ser exposto como uma “fraude”.

Isso honestamente tem sido algo que lutei durante toda a minha vida. Aqueles de nós que lutam com isso muitas vezes também experimentam dúvidas sobre si mesmos e uma sensação de fraude que é opressora e consome qualquer sentimento de realização – mesmo quando há prova de sucesso. Não importa o grau de sucesso em nossa área específica de especialização, não podemos reconhecer ou comemorar o sucesso.

Isso pode causar altos níveis de ansiedade e depressãoSentir constantemente que você não é bom o suficiente, e a dúvida que vem com isso, pode nos levar a um caminho escuro onde encontramos a depressão. A ansiedade de estar constantemente no limite é difícil de lidar e pode até nos impedir de prosperar em nossas vidas.

Então, o que você pode fazer se se sentir assim?

  1. Confie no seu treinamento.

Tire um tempo para realmente entender que você não está na posição em que está porque foi “preguiçoso”. Você fez o trabalho, conseguiu o emprego ou a outra posição e provou seu valor. Isso é tudo que importa. Seu perfeccionismo lhe dirá que você não sabe o suficiente, mas reserve um tempo para registrar suas realizações. Deixe que essa seja a sua força motriz em vez da voz perfeccionista.

  1. Seja gentil.

Você não estaria na posição em que está se alguém não achasse que você é qualificado. Isso significa que a maneira como falamos para nós mesmos precisa mudar de uma conversa interna negativa para uma que reconhece as realizações. Você pode se concentrar em quanto você realizou em um dia e até mesmo registrar pequenas realizações no trabalho ou na escola.

  1. Encontre alguém com quem você possa conversar.

Encontrar um mentor ou falar com um profissional pode aliviar um pouco da ansiedade e da síndrome do impostor de depressão, eles podem até mesmo ter experimentado isso. Eles podem ajudar a guiá-lo e apontar realizações que você talvez nem seja capaz de ver.

Lembro-me de começar um emprego em que me sentia subqualificado e pensava constantemente: “Alguém vai descobrir que não deveria ter me contratado”. Eu certamente não estava tão bem preparada para o trabalho quanto minha voz perfeccionista dizia que eu precisava estar. Eu estava em uma reunião com um amigo e mentor e, enquanto ele falava, era como se ele estivesse lendo minha mente. “Como ele sabia que eu achava que era uma fraude?” é o que eu ficava me perguntando. Eu me senti exposta naquele momento. Ele me garantiu que eu não era uma fraude, que era qualificada, capaz e preparada. Que eu não estaria lá se não fosse. Alguém sabendo que eu lutava com esses sentimentos me ajudou a desafiar a ideia de ser uma fraude. Ter uma pessoa que acreditou em mim mudou minha maneira de trabalhar, ver meu trabalho e o quão bem-sucedido eu era na realização de projetos. Sem esta pessoa, eu teria entrado de cabeça nestes sentimentos de dúvida, ansiedade e depressão por achar que era incapaz e provavelmente teria me demitido.

Muitos de nós lutaremos contra a síndrome do impostor em algum momento. Seu crítico interno dirá que você não é bom o suficiente, que não pertence à posição em que está e você irá falhar. Não deixe que essa seja sua conversa interna. Reserve um tempo para revisar tudo o que você realizou e lembre-se de que é digno de estar na posição em que está.

Texto escrito originalmente por Amanda Booth para o site The Mighty e traduzido para a Mente Amiga.

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima