O papel dos amigos e família na luta contra o câncer

Uma das batalhas a serem vencidas na luta contra o câncer é mudar a forma como as pessoas te veem e como veem a doença em si.

Quando eu contei que estava doente, a reação da minha família e amigos foi, em geral, tranquila. Claro que a notícia chocou todo mundo e causou muito medo e desconforto, mas todos entenderam que seria uma coisa passageira, e que eu não queria ser tratada como doente nesse período. A forma como eu enfrentei a doença deu motivos aos meus conhecidos para que não ficassem me olhando com pena, ou que me tratassem de um jeito diferente.

Porém, tive alguns problemas no meio do caminho. Parentes que não entendiam que eu não era uma coitada por ter câncer, ou que simplesmente anulavam a minha dor da queda de cabelos, que sempre foi algo que me afetou muito mais do que o próprio câncer. Eu sabia que estavam fazendo isso por amor, por não querer me ver sofrer, mas essa não era a melhor forma de me acalmar.

Lidar com esse tipo de coisa não é simples. As pessoas querem te tratar da melhor forma para que não haja mais sofrimento, mas não entendem que cada um tem a sua dor e o seu jeito de lidar com o câncer. Já vi pessoas em estado terminal parecerem que estavam completamente saudáveis; como também vi pacientes com um tipo de câncer não muito grave, mas que estavam enlouquecendo com a situação. Claro que devemos tentar ao máximo manter a mente tranquila e ficarmos fortes para aguentar essa luta, mas isso não quer dizer que não devemos ter nossos momentos tristes e sofridos. E é isso que as pessoas ao redor raramente entendem: precisamos sofrer.

O câncer muitas vezes traz mais sofrimento mental do que físico, e o apoio das pessoas que amamos é fundamental nesse momento. Porém, é trabalhoso entender qual a melhor forma de tratar desse assunto, como lidar com os efeitos colaterais do tratamento ou o que falar nos momentos de tristeza profunda. Esse é um trabalho constante para o próprio paciente e para seus entes queridos. Só lidando com cada uma dessas questões é que descobrimos como superar essa fase do melhor jeito possível.

Você, paciente, tenha uma postura compatível a como você quer ser tratado. Se você não quer que as pessoas te olhem com pena, por exemplo (que é algo que me incomoda muito), não tenha pena de si mesmo. O câncer é um desastre nas nossas vidas, mas não devemos deixar a felicidade de lado por causa dele. Saiba que é um período de muito aprendizado e redescobrimento pessoal. Você vai ficar bem, tudo vai dar certo.

Já você, amigo ou parente de um paciente oncológico, tenha calma. Analise as situações que incomodam a pessoa que está doente, veja qual a melhor forma de abordar os assuntos que envolvem o câncer. Você tem um papel fundamental nessa fase e o mais importante de tudo é ter respeito e empatia pela dor do outro. Tenha bom senso e bom coração. Juntos chegamos mais longe e você precisa estar ao lado dessa pessoa nesse momento. Vocês vão superar isso juntos!

Ass.

Carol Antunes

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima