As 6 coisas mais importantes que minha psicóloga me disse

“Eu me recuso a acreditar que você está confortável.”

Quando eu estava conversando com ela sobre o motivo pelo qual eu estava com medo de parar de me auto agredir e parar com o meu padrão de autodestruição, eu descrevi isso para ela como “confortável” para mim. Eu disse a ela que isso era o que eu sabia, e assim esse ciclo de destruição era confortável e ter que deixá-lo me apavorava. Ela me disse que enquanto ela entendia o que eu estava dizendo e, embora pudesse ser a única coisa que eu sabia fazer, ela se recusou a acreditar que de qualquer maneira que eu poderia estar confortável em me autodestruir. Ela me disse que eu ainda não estaria vendo ela se estivesse confortável. Além de ligar para ela quando estivesse desconfortável… porque, se estivesse confortável, não havia sentido para isso. Isso realmente me ajudou a colocar as coisas em perspectiva e reconhecer onde eu estava.

“Você não acredita que as pessoas possam mudar. Você não acredita que pode mudar. E essa crença está profundamente enraizada em você.”

Mesmo que isso pareça sem esperança, foi a coisa mais poderosa que minha psicóloga me disse. Durante anos, procurei o “porquê”. Nunca soube por que minha depressão começou, por que ficou tão ruim ou por que durou tanto tempo. E ainda há muita coisa que eu não sei ou não entendo, mas ela me dizendo isso me deu mais insights do que eu já tive antes. De muitas maneiras, comecei a acreditar quando era jovem que as pessoas – inclusive eu – eram incapazes de mudar. Essa crença avançou perigosamente quando minha depressão chegou e senti que estava destinada a ficar deprimida para sempre. Eu não poderia mudar. Eu não conseguiria melhorar. Eu nunca seria feliz. Essas não eram opções para mim. Como resultado, eu fiz coisas para sustentar essa crença que levou à minha própria profecia autorrealizável e ciclo vicioso de depressão. Reconhecer isso e chegar a um acordo com isso era enorme para mim. Eu nunca recebi um insight como esse de um terapeuta antes, e realmente acho que é uma das coisas mais importantes que ouvi para minha recuperação.

“Você nunca será o suficiente para sua mãe. E tudo bem.”

Para ser clara, amo minha mãe; mas eu tenho um relacionamento muito complicado com ela. Estou definitivamente em falta em partes do relacionamento. Mas pela primeira vez na minha vida, comecei a aprender que não é 100% minha culpa. Comecei a aprender a manipulação que ocorreu ao longo dos anos e como a voz distorcida da minha mãe afetou minha própria crítica e voz interior. Comecei a aprender que não posso amar minha mãe do jeito que ela quer que eu a ame; que minha versão de a amar não combina com sua versão. Mas estou aprendendo que tudo bem. Eu posso não ser o suficiente para ela, mas tudo bem. Estou aprendendo que não preciso me apegar às palavras dela, e elas certamente não valem a pena me machucar.

“Há uma razão pela qual você ainda está pegando o telefone e vindo me ver.”

Eu tive experiências passadas extremamente negativas com terapia. Há muito tempo, parei de acreditar que encontraria um terapeuta que pudesse me ajudar. No entanto, esta é diferente. Ela me ajudou mais do que pensei que seria possível. No entanto, muitas vezes eu questiono se posso realmente fazer essa coisa toda de recuperação, se é que eu realmente quero isso. É muito fácil para mim me convencer de que estou contente porque sou incapaz de melhorar e, portanto, deveria aprender a ficar satisfeita com o lugar onde estou. No entanto, minha terapeuta não me deixa acreditar nisso. Ela reconhece que há algo em mim que acredita que posso mudar, que quer mudar e está disposto a tentar. Se não houvesse, eu não estaria vendo ela ainda.

“Dê a si mesmo uma chance de lutar.”

Costumo dizer aminha psicóloga que tem sido “X” a quantidade de anos e ainda não consegui sair disso. Ela sempre responde da mesma maneira e pergunta se eu estava mesmo tentando sair disso durante todo esse tempo. Ela me diz que não posso pensar assim porque nunca me dei uma chance real. Claro que houve períodos que tentei, períodos em que parei de cortar, períodos em que realmente tentei ser feliz e ver além da escuridão que parecia que estava me consumindo. Mas havia tanta coisa que eu não sabia, e ainda precisava aprender muito. Ela me diz que a única maneira de eu ver uma mudança, a única maneira de sair disso, é se eu sair do meu próprio caminho por dois segundos e me dar uma chance de lutar.

“Estou orgulhosa de você.”

Não sei se é só que eu nunca digo essas palavras para mim mesma ou se não acredito que as mereça, mas sempre que alguém me diz essas quatro palavras, elas me atingem de uma forma muito profunda e pessoal. Luto para me dar crédito pelas vitórias que tenho e, em vez disso, sou frequentemente muito dura comigo mesma. Então, se eu passar por uma noite sem me sabotar, ou ficar com a minha mãe, ou escolher uma habilidade de enfrentamento positiva em vez de uma destrutiva – significa muito para alguém reconhecer isso… e para alguém se orgulhar de mim por isso. Espero que com o tempo eu possa começar a comemorar essas pequenas vitórias e me orgulhar de mim mesma por essas coisas também.

Ass.

Sky Taylor

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima