Burnout e estresse excessivo: Qual o papel das empresas?

Percebe-se cada vez mais que a palavra qualidade é utilizada no dia a dia das empresas, como: qualidade de vida, qualidade no ambiente de trabalho, qualidade do serviço. Estes e outros conceitos tem como finalidade fazer com que as organizações se destaquem pelo trabalho oferecido e que com isso os colaboradores estejam dando o melhor de si.

Entretanto somente há pouco tempo a preocupação com a qualidade de vida no trabalho destacou-se para os grandes gestores. Segundo levantamento anual da Previdência, em 2019, houve cerca de 455 afastamentos de profissionais do local de trabalho por conta da Síndrome de Burnout. O número pode não parecer tão alto à primeira vista, mas, quando comparamos com os resultados de 2018 — que indicavam 309 afastamentos —, constatamos um crescimento de 32,10% em um ano.

Pode-se dizer que uma empresa que quer ter qualidade como um todo, necessita atender necessidades básicas dos colaboradores como base e após isso ir escalando conforme a pirâmide de Maslow.

Para quem não está familiarizado com o conceito, a pirâmide de Maslow, também chamada de hierarquia das necessidades de Maslow, é um conceito criado na década de 50 pelo psicólogo norte americano Abraham H. Maslow. Seu objetivo é determinar o conjunto de condições necessárias para que um indivíduo alcance a satisfação, seja ela pessoal ou profissional.

De acordo com a teoria, os seres-humanos vivem em busca da satisfação de determinadas necessidades. Para o psicólogo, a perspectiva de satisfação dessas necessidades é o que gera a força motivadora nos indivíduos.

A pirâmide de Maslow é usada, então, para demonstrar a hierarquia dessas necessidades. Ou seja, descreve quais são as mais básicas (base da pirâmide) e as mais elaboradas (topo). As necessidades base (fisiológicas) são aquelas consideradas necessárias para a sobrevivência, enquanto as mais complexas são necessárias para alcançar a satisfação pessoal e profissional.

Pirâmide de Maslow

 

 

 

 

 

 

Como podemos notar com a imagem acima, a pirâmide possui cinco níveis de necessidade: fisiológicas, segurança, sociais, estima e autorrealização.

Dado o contexto da pirâmide de Maslow, as empresas necessitam buscar do mais básico ao mais avançado (topo) que geralmente são benefícios para os colaboradores que ao ver da empresa pode não ser tão importante. Então o primeiro passo é você ver se está tendo as necessidades mais básicas supridas dentro da sua empresa, para depois avaliar outras questões menos urgentes.

Agora que você entende que uma empresa busca sempre a qualidade e que ela necessita dar o mínimo de qualidade para seus colaboradores. Assim, iremos abordar o papel da empresa quando falamos de esgotamento profissional ou Síndrome de Burnout.

A Síndrome de Burnout trata-se de uma experiência interna e totalmente subjetiva de cada indivíduo e ela gera sentimentos como: insatisfação, desgaste, perda de comprometimento, dentre outros sintomas. Consequentemente esses sentimentos comprometem o seu desempenho profissional e traz consequências indesejáveis para a empresa, onde muitas vezes acarreta a demissão do colaborador.

Os pesquisadores Carlotto e Gobbi apontaram em 1999 que a síndrome de burnout como um dos grandes problemas psicossociais do Brasil e definem como um fenômeno multidimensional, formado por três dimensões: exaustão emocional, despersonalização e diminuição do sentimento de realização profissional no trabalho.

Mas afinal, o que as empresas podem fazer para que possam tratar e prevenir estes casos?

 

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

O treinamento e desenvolvimento podem ser considerados um dos grandes pilares para engajar e compreender os colaboradores. O treinamento e desenvolvimento junto com metas de bem-estar no ambiente corporativo auxilia na interação e capacitação dos colaboradores nas organizações.

 

CLIMA ORGANIZACIONAL

Hackman (1997) afirma que o desempenho de cargos e o clima organizacional representam fatores importantes. Se esta for pobre, conduzirá à alienação do empregado e à insatisfação, à má vontade, ao declínio da produtividade, e a comportamentos contraproducentes. Se for rica, conduzirá a um clima de confiança e respeito mútuo, no qual o indivíduo tenderá a aumentar suas oportunidades de êxito psicológicas e atenderá a reduzir o mecanismo rígido de controle social.

 

PROGRAMAS PARA MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

Uma das maneiras de diminuir o stress é implantando programas de qualidade de vida no trabalho para que os colaboradores se motivem a trabalhar e doem o melhor de si para aquela organização.

Os programas de qualidade de vida no trabalho, de maneira bem sucinta, são conjuntos de ações realizadas em uma empresa que necessitam envolver um diagnóstico sobre as dores dos colaboradores para que se possa então realizar um projeto de implementação e melhorias na organização.

 

BENEFÍCIO DE PSICOTERAPIA

A psicoterapia promove o desenvolvimento de habilidades sociais com o intuito de melhorar os relacionamentos pessoais e profissionais, além de trazer maior clareza sobre as qualidades e ambições da pessoa que passa pelo processo, melhorando assim a vida. Além de ser muito útil para quem enfrenta dificuldades em se relacionar com as outras pessoas, evitando o isolamento social e o desencadeamento do stress no ambiente de trabalho.

 

Conclusão

Fica clara a importância da implementação de ações para melhorar a qualidade de vida no trabalho dos colaboradores. A qualidade de vida no trabalho está diretamente ligada com a necessidade e expectativa do colaborador dentro da organização.

As organizações necessitam realizar investimentos para haja melhora na vida dos colaboradores dentro da empresa, até porque, passamos mais tempo com colegas de trabalho do que com os nosso próprios familiares e amigos. Este Investimento trará uma redução de custos com relação às doenças do trabalho, melhorará a comunicação interna e interpessoal e que por consequência irá melhorar a produtividade de sua empresa.

 

Artigo escrito por Felipe Huerta, administrador e Co-Fundador da Mente Amiga!

 

IMPORTANTE:

Se você se identifica com algum dos sintomas da síndrome de burnout ou sofre com estresse excessivo, procure um profissional da saúde (Psicóloga, Médico) para que você seja orientado para a melhor forma de cuidado através da sua individualidade. www.menteamiga.org

 

BIBLIOGRAFIA

 

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/pe/artigos/como-a-sindrome-de-burnout-afeta-o-dia-a-dia-das-empresas,14f4536044395710VgnVCM1000004c00210aRCRD

 

MONOGRAFIA: QUALIADE DE VIDA NO TRABALHO E SÍNDROME DE BURNOUT – FABIOLA COLA REUTERS

 

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima