Psicoterapia: 8 coisas que você pode melhorar em si

Antes de trazer os benefícios que a psicoterapia trás para um indivíduo, queremos apresentar o cenário da história da Psicologia, para que assim, se possa compreender como suas raízes nos levam a questões atuais.

Na antiguidade e na idade média a Psicologia estava atrelada à filosofia. Aristóteles, grande filósofo grego, trouxe o tratado Peri Psyque, obra que analisa os principais problemas respeitantes da alma. Uma das primeiras manifestações no surgimento da psicologia como ciência foi colocada pelo médico do grego clássico Alcmeão de Crotona no século 6 aC, que introduziu que, avida mental é uma função do cérebro”. 

Esta ideia fornece uma base para entender a psique humana até os dias atuais.Outro filósofo grego que foi importante para a origem da psicologia como ciência foi: Hipócrates (460-370 aC).

Hipócrates, conhecido como o pai da Medicina, introduziu uma transformação nas ciências médicas. Antes de Hipócrates a Medicina estava mais próxima do mágico do que do racional, foi através dos estudos apresentados por ele que foi possível compreender a história da doença que provoca no paciente a urgência de tratamento.Foi ele o criador da anamnese e da observação clínica.

Podemos dizer através da história que a clínica psicológica é sucessora do padrão médico, pertencendo ao profissional observar e compreender, para depois, fazer a intervenção.

Após o renascimento, abriram-se portas para a discussão dos fenômenos psíquicos, dos processos subjetivos do indivíduo e com isso, a psicologia já não era propriamente o estudo da alma e sim da mente.

Nessa perspectiva que Sigmund Freud entra com a responsabilidade de mudar esse cenário para os padrões da modernidade, o homem moderno se descobre como um ser singular, um ser que conquistou o direito de desempenhar sua individualidade, visto isso, a prática clínica psicológica passa a se vincular a demanda do sujeito e não a uma patologia, tomando um outro rumo em relação ao modelo médico.

Freud e a psicanálise, segundo Guerra (2002), serão responsáveis pelo deslocamento da prática fundamentada no olhar (sobre o fenômeno) para a prática fundamentada na escuta (do metafenomenal). Assim, a prática clínica psicológica passa a vincular-se a uma demanda do sujeito, e não necessariamente a uma patologia, como no modelo médico. (NEVES,Edwiges;ROMAGNOLI,Roberta;MOREIRA,Jacqueline,2007)

A prática da psicoterapia só foi possível em virtude da regulamentação da profissão em 27 de agosto de 1962 e do início do exercício legal dessa. A psicoterapia entra na história do Brasil em um período crítico, nos anos 60, movido por muitos movimentos políticos, sociais e culturais, que indagavam a desumanização e a forma que se exercia o poder. Foi na época da ditadura militar que as psicoterapias ganharam força.

“Nesse sentido, as psicoterapias no Brasil surgem também como um dos poucos espaços de privacidade “total” para os adversários do regime; em seu setting havia a possibilidade de serem geradas novas formas de percepção de mundo, novas maneiras de freqüentar o mundo, novas formas de se viver melhor neste mundo. Nesse microespaço era possível, com liberdade e segurança, “contestar” as relações políticas, educacionais, familiares, amorosas, etc. Com isso, a psicoterapia foi se constituindo entre os brasileiros como um lugar de possíveis mudanças. Nelas, era potencialmente possível a produção de novos sujeitos, de novos modos de ser; ali era viável tratar – através do exercício do pensamento e da expressão verbal – de várias insatisfações existenciais, sem concretamente correr grandes riscos de vida. Enfim, a forte censura e a repressão a vários assuntos impostos pela força do regime acabaram possibilitando que a psicoterapia surgisse no Brasil como mais uma brecha ou espaço de resistência, especialmente, para as pessoas das classes média e alta brasileira daquele momento.” (CAMPOS, Ronny, 2005)

Através desse contexto, atualmente, a psicologia clínica é uma ciência majoritariamente positiva, construída a base de observações e experiências científicas que possui como objeto de pesquisa o comportamento humano.

E afinal, quais os benefícios que a psicoterapia pode oferecer? Separamos 8 tópicos que trazem alguns benefícios que a psicoterapia pode ofertar para sua vida:

  • Autoconhecimento

É uma investigação de si mesmo, é a capacidade de olhar o mundo interno e perceber as virtudes, as forças e as fraquezas, trazendo benefícios de melhor equilíbrio sobre as emoções.

  • Compreender habilidades

Quais são minhas habilidades? No que eu posso evoluir? Quando enxergo as minhas habilidades, eu alimento a minha inteligência emocional, quebrando barreiras diante de dificuldades.

  • Conflitos internos e insegurança

insegurança é um sentimento que faz parte de nós, seres humanos, e que se apresenta quando estamos em algumas situações as quais deciframos como perigo. A partir dessas situações é possível que ocorra um sentimento de: “não sou capaz de enfrentar isso sozinho!”. 

A psicoterapia irá trabalhar a autoimagem, desenvolvendo as potencialidades do indivíduo para que assim seja criada a possibilidade de fortalecer sua autoconfiança.

  • Autoestima

Também está ligada a autoconfiança, é a admiração de si mesmo, como também o julgamento do próprio eu. Quando está rebaixada, a pessoa possui sentimentos como: inadequação, incapacidade e incompetência. Quando trabalhada e fortalecida a pessoa se sente mais confiante, competente e merecedora de suas conquistas.

  • Tolerância a frustrações

Frustração é o sentimento que se procede quando alguns desejos e expectativas não são cumpridos de acordo com o que se era esperado, resultando em um sentimento de decepção. Quando não trabalhado, podem emergir sentimentos como a desmotivação. 

Na psicoterapia trabalhamos as frustrações, entrando em contato e criando consciência dos sentimentos, sensações e emoções que constituem essas frustrações, ressignificando assim, através do

  • Resiliência

É a capacidade de enfrentar as adversidades apresentadas no cotidiano. Quando se potencializa a resiliência, ocorre um fortalecimento na inteligência emocional.

  • Autonomia

Ser dono de seus próprios sentimentos e atitudes, liberdade do indivíduo em direcionar a própria vida. A autonomia é fundamental para desenvolver um maior senso de responsabilidade.

  • Ressignificar sentimentos, trazendo um novo sentido

Atribuir um novo significado a acontecimentos através da mudança de percepção. Ressignificar é dar outro sentido para uma situação ou um momento da vida, ou seja, transformar uma experiência negativa em algo positivo, convertendo em aprendizados. Enxergando nos desafios uma oportunidade de crescimento. 

Nos dias atuais, a psicoterapia é indicada para o tratamento de diversas questões de saúde mental, tais como: ansiedade, depressão, pânico, stress pós-traumático, etc. 

Contudo, o espaço transformador da psicoterapia pode  ser frequentado por todas as pessoas que queiram entrar em contato com seus sentimentos, pensamentos, emoções, possuindo um momento de conexão com o seu próprio eu.

Portanto, para quem deseja descobrir seu vasto mundo emocional, ressignificar sentimentos, aprender sobre si mesmo, amadurecer e evoluir o autoconhecimento a psicoterapia é uma prática embasada nos conhecimentos científicos da psicologia capaz de satisfazer esse desejo. Que tal experimentar?

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los, basta acessar menteamiga.org e realizar o seu cadastro!

BIBLIOGRAFIA:

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima