Quando o transtorno de personalidade borderline faz de você um amigo ciumento

O ciúme não é exclusivo do transtorno de personalidade limítrofe (TPL),
mas, como você deve saber, os portadores de TPL sentem as coisas muito profundamente…
e, infelizmente, às vezes isso inclui emoções menos favoráveis, como ciúme.

      Eu não tinha muitos amigos ao
longo da minha vida. Parte disso foi por escolha e em parte porque eu
genuinamente achava que ninguém iria gostar de mim em primeiro lugar, então
qualquer afeição ou amizade que me ofereceram eu recusei porque eu realmente
não achava que valesse a pena. Não foi antes dos meus 20 anos que comecei a me
abrir mais e fiz alguns amigos muito próximos. Crescendo com muito pouca
socialização, eu nunca experimentei realmente as emoções normais que vêm com os
relacionamentos – um deles sendo o ciúme – com o qual eu recentemente comecei a
lutar.

      Eu só tenho três amigos que
eu diria que são amigos muito próximos, e ao contrário de mim, eles cresceram
com amizades saudáveis e normais com outras pessoas, portanto eu não sou a
única amiga deles. Mas para mim, eles são meus únicos amigos. O que eu não digo
de uma maneira triste, estou realmente feliz com a presença deles na minha
vida. Mas percebi que quando meus amigos passam tempo com os outros amigos,
esse pequeno fogo de ciúme aparece no fundo da minha mente. Muitas vezes parece
uma facada nas costas, mesmo que racionalmente eu saiba que não é! Eles não
estão gastando tempo com outros amigos em vez de mim, ou desfrutando de sua
amizade mais do que a nossa… mas é incrivelmente difícil não se sentir assim.

      Há uma garota com quem uma de
minhas amigas é próxima e de quem eu não gosto, e ela também não gosta de mim e
superar os sentimentos de “se minha amiga tivesse que escolher entre eu e
aquela outra garota, não tem como ela me escolher”, é difícil. Eu nunca fui uma
pessoa ciumenta, e geralmente eu tenho sido alguém que pensa, “quanto
mais, melhor”, mas quando se trata dessas amizades que tenho com pessoas
que são as pessoas mais importantes para mim, é óbvio que eu sofro com essa
comparação e com ciúmes – ambas são coisas muito desfavoráveis. Muitas vezes eu
comparo meu tempo com meus amigos com o que eu vejo em posts de mídia social
dos meus amigos no tempo com seus outros amigos. O ano passado da minha vida
foi cheio de obstáculos, situações sérias e muita turbulência, o que levou a
conversas sérias e conversas pesadas. Comparando isso com diversão, risadas e
bons momentos que meus amigos têm com outros amigos, é difícil olhar para o
passado.

      Eu sei que sou uma pessoa que
tem muita “bagagem emocional” e, embora isso não seja por opção, é o que é. E
quando você é jovem e tem mais de 20 anos, descobre que, às vezes, isso é
motivo suficiente para as pessoas não quererem ser suas amigas. Parece que a
maioria das pessoas está procurando por um bom tempo – noites de bares, datas
de filmes, noites de vinho, almoçar juntas etc… e embora não seja que eu não
possa fazer essas coisas, é que emocionalmente eu sou tão drenada que acabo que
quero sentar em um sofá, conversar e chorar sobre as coisas que acontecem na
vida. Sim, eu estou tão insanamente grata por ter esses amigos – aqueles que me
permitem fazer isso e ainda ficar ao meu lado, mas também me preocupo em não
estar dando a eles uma amizade satisfatória muitas vezes, e essa preocupação é
o que alimenta esse ciúme que sinto nessas amizades.

      O ciúme não é uma emoção que
eu quero sentir, eu tento realmente empurrar os sentimentos de ciúmes quando
eles vêm. Acho útil pensar: “Eu amo esse amigo, certo? Sim. Bem, as amizades que
eles têm com os outros ajudam na sua felicidade, o que é mais importante para
mim do que descobrir de onde vem a felicidade deles”. E eu também tento parar
de comparar tudo. Só porque eles têm amizades com os outros não faz com que
eles não tenham amizade comigo, e é importante lembrar que não há dois
relacionamentos iguais. Como eu me sinto sobre o meu irmão é um tipo de amor, e
como me sinto sobre meus amigos mais próximos é outra, ou como me sinto sobre
meus primos é um tipo separado de amor. Eu amo todos eles, e se eu tivesse que
escolher entre eles eu não poderia, porque eles são todos importantes e
significativos de maneiras diferentes… mas o denominador comum é o amor.
Então, aplicar esse processo de pensamento aos meus amigos e aos que me rodeiam
me ajuda a racionalizar a raiva e o ciúme às vezes.

      Mas, ao mesmo tempo, acho que expressar sentimentos de ciúme, como qualquer outra emoção, é muito importante. Quando você consegue expressar seus pensamentos e sentimentos, é possível racionalizá-los, o que ajuda a mantê-lo são. Acho que esquecemos que todo mundo tem sentimentos. O ciúme é apenas mais uma emoção que você sente e você pode escolher se você se agarra a ele, ou se senta com ele por um momento e depois segue em frente.

Ass.

Paignton

A Mente Amiga oferece ótimos psicólogos para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta acessar menteamiga.org e realizar o seu cadastro!

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima