Transtornos Alimentares: Tipos e tratamento

Os transtornos alimentares possuem múltiplas causas , que podem ser: genéticas, ambientais, sociais e culturais.

O comportamento alimentar inclui algumas dimensões, que são:

  • Dimensão fisiológica nutritiva: satisfação das necessidades nutricionais do corpo.
  • Dimensão psicodinâmica e afetiva: satisfação do prazer que se dá ao ingerir o alimento.
  • Dimensão relacional: satisfação da relação que se tem com o alimento.

O comportamento de comer é motivado conscientemente pelas sensações básicas de fome, sede e saciedade. Essas são geradas, controladas e monitoradas por diversas áreas do organismo: o hipotálamo (centro de saciedade) e várias estruturas cerebrais ligadas às dimensões citadas acima.

Dentro dos transtornos alimentares o meio social está diretamente relacionado com os aparecimentos dos sintomas iniciais e com a evolução do quadro. Os padrões apresentados constantemente nas mídias sociais tendem a ter grande peso no nosso mundo psíquico.

Vivemos em uma época visual, o mundo está repleto de imagens, gerando em muita gente a busca inconsciente dessas imagens frequentes que ficam estabelecidas no nosso inconsciente.

Vou citar dois transtornos alimentares mais comuns, a Anorexia nervosa e a Bulimia nervosa:

Anorexia Nervosa:

É caracterizada pela perda de peso autoinduzida por privação de alimentos de alto índice calórico ou por comportamentos como vômitos induzidos, exercícios excessivos e uso de diuréticos e laxantes.

Ocorre com mais frequência em garotas adolescentes e mulheres jovens (+ de 90% dos casos ocorrem no sexo feminino).

Dentro da anorexia existe uma busca exigente de magreza e o medo intenso de parecer ou ficar gorda (o).

Do ponto de vista psicopatológico o que é característico da anorexia nervosa é a distorção da imagem corporal, apesar de muito emagrecida a paciente percebesse gorda.

Bulimia Nervosa:

Caracterizada por episódios recorrentes de compulsão alimentar, comportamentos de vômitos induzidos com frequência de ao menos 3x por semana e autoavaliação excessivamente influenciada pelo próprio peso e forma física.

Da mesma forma que a anorexia nervosa, a bulimia ocorre em 90% dos casos entre as mulheres, começando no final da adolescência ou no inicio da idade adulta.

Tratamento:

O melhor tratamento para transtornos alimentares é através de uma equipe multidisciplinar, composta por médicos, dentro deles posso destacar a importância do Psiquiatra para a intervenção medicamentosa, Psicólogo para trabalhar toda a parte emocional e comportamental e nutricionista para favorecer outro vínculo relacionado à alimentação.

IMPORTANTE:

Se você se identificou com alguns dos distúrbios alimentares citados acima, procure ajuda! O primeiro grande passo para a melhora é reconhecer a necessidade de um tratamento. 

Psicólogos, médicos, Nutricionistas, podem ajudá-lo a compreender os gatilhos que levam a esse comportamento de distorção de imagem, assim melhorando a sua relação com a comida, sua saúde e sua qualidade de vida.

Bibliografia:

Do vazio mental ao vazio corporal: um olhar psicanalítico sobre as comunidades virtuais pró-anorexia – FAVA, Melina; PERES, Rodrigo – https://www.scielo.br/pdf/paideia/v21n50/08.pdf

Livro: Psicopatologia e Semiologia dos transtornos mentais – Paulo Dalgalarrondo

Psicoterapia como estratégia de tratamento dos transtornos alimentares: análise crítica do conhecimento produzido – COMIN, Fabio; SANTOS, Manoel https://www.scielo.br/pdf/estpsi/v29s1/21.pdf

Texto feito por:

Psicóloga Tainá Mazzitelli

CRP: 06/142828 

Tainá atualmente atende pela Mente Amiga.

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima