Vamos falar sobre autocuidado?

O que você pode fazer em momentos ruins. 

 

 

Hoje a proposta é que nos atentemos um pouco para como está minha atenção para comigo mesmo, ou seja, como estou cuidado de mim mesmo nos últimos dias? Quais atitudes tenho tido comigo? São atitudes construtivas ou destrutivas? Tenho tido responsabilidade frente as mesmas?

 

Para que possamos considerar sujeitos com um autocuidado funcional precisamos nos atentar à alguns aspectos, dentre eles: como estou cuidando das necessidades do meu corpo físico, mental e emocional?

 

Ter autocuidado não significa “estar bem” o tempo todo, porém conseguir aceitar e lidar de forma mais funcional com os aspectos positivos e negativos que perpassam nossas vivências diárias. Isto nada mais é do que buscar um equilíbrio e congruência no meu pensar-sentir-falar.

 

Por isso, o objetivo de hoje é pensarmos juntos em algumas estratégias de enfrentamento mais funcionais para aqueles dias de maior desânimo, com um humor mais deprimido, ou mais ansioso. Tais estratégias podem ser tanto praticadas individualmente ou em conjunto.

 

Busque fazer algo que lhe traga alguma sensação de satisfação, alegria, bem-estar, sem que traga prejuízos para si ou para pessoas ao seu redor. São tantas as atividades possíveis, afinal, somos seres subjetivos, com gostos singulares, mas vão aqui alguns exemplos.

 

Faça uma leitura da qual goste, tome um banho mais demorado e sinta a água caindo em cada parte do seu corpo, passe aquele hidratante corporal que você guarda apenas para uma ocasião especial, pratique algum exercício leve (existem muitos benefícios na atividade física, pois por meio dela são liberados inúmeros hormônios, tais como a endorfina, que são responsáveis pela sensação de bem estar e do prazer).

 

Ligue para algum amigo para conversar, assista aquele filme que te faz lembrar de coisas boas (ATENÇÃO! Busque não escolher filmes que possam te remeter a gatilhos para sentimentos negativos, caso compreenda que não consegue no momento lidar com eles).

 

Observe uma paisagem que lhe agrade, buscando recuperar sua habilidade em valorizar a beleza que existe ao nosso redor (agora mesmo, encontre um resquício de força e se levante desta cadeira, dê alguns passos lá para fora e olhe para o céu. Aprecie-o, tente aguçar seus ouvidos para ouvir o canto dos pássaros!!!). Ouça alguma música que lhe agrada, permita-se a dançá-la.

 

Um ótimo coringa para esses dias pode ser o “CARTÃO DE ENFRENTAMENTO”, já ouviu falar dele? Nada mais é que um cartão, criado por você mesmo, que contenha algumas dicas que você já experimentou neste dia e te auxiliou a ultrapassá-lo.

 

Ele também pode conter uma lista de habilidades e capacidades que você consegue enxergar em você. Sabe? Aquelas conquistas, que as vezes parecem minúsculas e sem valor? Então! Mas foi você quem conseguiu, você quem conquistou! VALORIZE-SE E VALORIZE-AS! Se você não o fizer, quem fará por você?

 

Este cartão pode ser feito em um simples papel sulfite, ou até mesmo em um lindo papel, que pode ser decorado por você. Pode ser grande ou pequeno, pode ser em forma de lista, ou então com desenhos ou frases. Pode ser feito uma única versão ou em diversas. Pode ficar apenas na sua carteira, ou em diversos ambientes da sua casa e dos lugares que você frequenta. O objetivo é que nestes momentos de crise e conflito interno ele lhe ajude a lembrar de situações, qualidades, conquistas, prazeres e estratégias para você, mais uma vez, superar este momento. Use a criatividade, mas não se exija demais!

 

As estratégias são inúmeras, afinal, somos seres tão complexos e únicos que seria impossível reuni-las todas aqui. Porém, para finalizar, gostaria também de lembrá-los da importância de algumas outras técnicas:

 

Respiração! Acredite ou não, mas o ser humano não consegue sobreviver se algumas necessidades básicas não forem satisfeitas. Dentre elas: comer, beber água e respirar. Pois é pessoal! A respiração é uma necessidade BÁSICA, importantíssima para nossa sobrevivência. As vezes esquecemos de valorizá-las, não é mesmo? Lembramos apenas quando estamos com aquele resfriado ou rinite atacada e não conseguimos respirar de forma satisfatória e nos falta ar, ou então no meio daquela crise de ansiedade onde parece que o ar ficou rarefeito e o coração começa a bater tão forte que não lembro que existem técnicas que podem me auxiliar. Pois bem, existem! As dicas agora dependerão de vocês, tudo bem? Pois a proposta é que VOCÊS busquem exercícios de respiração e coloque-os em prática. Vou nomear alguns, mas proponho a vocês que, ao menos em 5 minutos do dia, busque exercitar alguma delas.

 

  • RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA

 

  • RESPIRAÇÃO 4-4-4/3-3-3-3

 

  • ALTERAR NARINAS

 

  • RESPIRAÇÃO SAMA VRITTI

 

E, por fim, nossas queridinhas técnicas de meditação e relaxamento! Existem tantas formas, mas hoje quero introduzir apenas uma, que também a pesquisa ficará por conta de vocês. A técnica se chama: relaxamento progressivo de Jacobson, cujo objetivo é focar toda a atenção em uma série de exercícios musculares com os quais, pouco a pouco, as tensões e, acima de tudo, essas ideias intrusivas que nos provocam mal-estar são aliviadas.

 

Todas a compilação de dicas compartilhadas hoje, recorrem à atenção plena. Sabe o que é? Esse termo se refere a um estado mental que se caracteriza pela autorregulação da atenção para uma experiência específica do aqui e do agora, ou seja, o momento presente. Ficou muito complexo? Então recorra ao exercício em si! Sabe aquele momento em que você se concentra fielmente e única e exclusivamente na atividade em que está se dedicando? Este é o fundamento do exercício.

 

Espero tê-los auxiliado e aguardo o retorno do processo prático de vocês!

 

 

 

Texto escrito pela psicóloga Mariana Diniz Cortez CRP 06/142181, credenciada na Mente Amiga.

Agende sua sessão de Terapia Online

A Mente Amiga oferece psicólogas incríveis para que você possa fazer terapia de qualquer lugar no mundo! Para encontrá-los,  basta clicar no botão ao lado e realizar o seu cadastro! 

Rolar para cima